terça-feira, 7 de maio de 2013

Sem direito a defesa

Poucos minutos depois, os três terroristas retornaram, e, acercando-se por traz do Oficial, Yoshitame Fugimore desfechou-lhe violentos golpes na cabeça, com a coronha de um fuzil. Caído e com a base do crânio partida, o Tenente Mendes gemia e se contorcia em dores. Diógenes Sobrosa de Souza desferiu-lhe outros golpes na cabeça, esfacelando-a. Ali mesmo, numa pequena vala e com seus coturnos ao lado da cabeça ensangüentada, o Tenente Mendes foi enterrado.

O Tenente Mendes Júnior foi executado sem o direito de defesa. A família de Carlos Lamarca recebe indenização e pensão por atos como estes praticados por Lamarca e seus companheiros. A família do tenente Mendes Júnior não.

Pessoas como Dilma Rousseff e outros, presos pelo regime militar, tiveram o direito a defesa com a assistência de advogados e um julgamento. Não foram sumáriamente executados como o tenente Mendes Júnior.

Este é o Brasil do PT. Dois pesos e duas medidas. Com o PT a verdade do que ocorreu em nossa história está morta.

Um comentário:

Berto pernambuco disse...

Esse e' o Brasil do PT com uma forcas armadas do PT