quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Começam a chegar os 4.000 médicos cubanos contratados pelo governo.


O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou nesta quarta-feira que assinou termo de cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para atrair médicos estrangeiros ao Brasil, por meio do programa Mais Médicos. Pelo acordo, fica definida a vinda de 4 mil profissionais de Cuba para as vagas que não foram escolhidas por brasileiros e estrangeiros na seleção individual. Fonte: Blog do Noblat

Começam a chegar ao Brasil os 4.000 médicos cubanos contratados pelo governo brasileiro.

O Brasil deverá pagar R$10.000,00 (dez mil reais) por més por cada médico a Opas, que por sua vez passará uma quantia que o Brasil não sabe informar. A Opas deverá repassar um tanto destes recursos para o governo cubano que pagará aos médicos.

Qual será o salário destes médicos? O ministro da saúde também não sabe ou não quer informar.

Tomando por base o mesmo contrato que o governo da Venezuela tem para o receber médicos cubanos, o governo de Cuba fica com uma boa parte destes recursos, e divide o salário do médico entre a família dele em Cuba e uma parcela para o médico no Brasil.

Em  resumo, estaremos recebendo médicos submetidos a um sistema de escravidão patrocinado pelo governo brasileiro.

Resta ainda responder às seguintes perguntas:

1. Esta importação de escravos vai resolver os problemas da falta de estrutura e de equipamentos nos hospitais públicos?

2. Estes médicos não vão passar pelo revalida, o exame do Conselho Federal de medicina para avaliar seus conhecimentos. Como poderemos saber se estes escravos tem a mesma capacitação de nossos médicos?

3. Se algum destes médicos cubanos pedir asilo no Brasil serão deportados de volta para Cuba em avião venezuelano?

4. O contrato entre estes médicos e o governo cubano atendem aos requisitos da legislação trabalhista brasileira?

Este contrato é apenas uma forma de repasse de dinheiro público brasileiro para Cuba sem resolver o problema da saúde pública no Brasil.

3 comentários:

Anônimo disse...

Dê uma olhada melhor na MP 621 que viabiliza essa coisa toda, o deputado Jair Bolsonaro denunciou na tribuna da câmara que na verdade virão por baixo uns 70.000 cubanos pois os médicos poderão trazer todos seus dependentes junto com ele(ele calcula algo como de 10 a 20 dependentes por médico) que poderão inclusive trabalhar no Brasil com carteira assinada (tirando emprego dos brasileiros) e DETALHE IMPORTANTE assumir CARGOS EM COMISSÃO NO GOVERNO.

josé de Araújo madeiro disse...

COMO NA VENEZUELA, VEM AI OS GUERRILHEIROS CUBANOS TRAVESTIDOS DE MÉDICOS:

Médicos Cubanos e Vetos da Dilma Rousseff:

Helena, Ricardo e demais amigos: O Congresso Nacional se vendeu e aprovou os vetos da Dilma, incluindo os vetos contra o ATO Médico. Ontem, o Ministro Padilha confirmou que vai trazer 4000 médicos cubanos, para atuarem em áreas remotas do nosso país, com salários de R$ 10 mil, que serão repassados para os Ditadores Cubanos, conforme notícias do Telejornal e através da OPAS, como acontece na Venezuela. O Ditador Cubano, fica com 70% dos salários do Médicos. Confirmando o que já prevíamos. Virão guerrilheiros cubanos, com títulos de Médicos, para fazerem a cabeça do povo, como na Venezuela. Esses parlamentares brasileiros da atualidade são uma vergonha. E nós temos que reagir. Os Conselhos de Medicina não devem reconhecê-los como médicos e nós nem assinaremos atestados de óbitos dos pacientes que não acompanhamos e também não daremos prosseguimentos as condutas iniciadas por eles. É a Ditadura do PT que vai se montando, vai ajudando à Cuba sobreviver e o Congresso Brasileiro, com outros órgãos estatais e até mesmo da imprensa são coniventes. Abs, Madeiro.

Thayse Vilanova disse...

É, bem se ver o quão informados estão sobre a medicina cubana, né!? Eu não aponho a vinda de cubanos pelo fato deles estarem trabalharem em um regime de semi-escravidão, mas médicos cubanos são muito mais humanos e dedicados a população...Estrutura falta em todo lugar, os programas do governo só servem pra tapar o sol com peneira, mas, o fato é que nenhum médico gostar de ir pro meio do nada, onde judas perdeu as botas e a civilização praticamente não existe. trabalho com médicos cubanos, todos revalidados, que são de longe muito mais humanos e sensíveis aos problemas da comunidade do que os capitalistas que mal olham na cara dos pacientes. Essa intolerância só mostra porque os médicos são a classe mais prepotente do Brasil. Talvez se tivesse os salários reduzidos ela metade a realidade fosse outra, e não se sentisse esses semi-deuses que são hoje.