domingo, 13 de dezembro de 2009

A Visão do Leitor

O Anônimo respondeu ao post anterior de forma infantil e sem demonstrar que pesquisou alguma coisa. Vamos procurar informa-lo:

Anônimo disse...

Já que querem ensinar devem estar dispostos a aprender:

Eu, com 63 anos de idade, todo dia aprendo algo de novo. Espero que o anônimo tem a cabeça aberta para também aprender. Para aprender não se pode ter preguiça nem se basear em achismos. É necessário questionar, buscar informações e não sair por aí repetindo o que não se sabe.

"Comprar coisas" significa melhora do poder aquisitivo. Pobres "comprando coisas" significa melhor distribuição de renda, o alvo do Bolsa Família.
Nada pior que um imbecil que se coloca na posição de mestre!

Anônimo. A primeira coisa que a sua mãe deveria ter te ensinado é ser educado. A segunda é que se deve respeitar opiniões alheias mesmo que divergentes. Pelo seu palavreado parece que você não aprendeu os sábios ensinamentos maternos.

Quanto a este assunto, anônimo, pesquise no site do IBGE é você vai constatar que a distribuição de renda vem melhorando no Brasil desde 1994, com a implantação do Plano Real. Pesquise tambem o Programa Fome Zero, e você vai verificar que o Bolsa Família deveria ser um programa emergencial, e que acabou se tornando um programa eleitoreiro. Pesquise também as opiniões de Frei Beto sobre isto. Frei Beto disse exatamente isto. O Bolsa Família se tornou um programa eleitoreiro e não um programa de inclusão social.

Aprendam antes de pretenderem ensinar!

A afirmação acima cabe como uma luva para você e suas atitudes preconceituosas.

E dou a primeira lição de graça:

Fazendo minhas as suas palavras: Aprenda antes de pretender ensinar!

Não "passem recibo" dedicando tanto tempo se o comentário é de fato imbecil...

Quem sabe o que é democracia e o que é liberdade de expressão não considera nenhum comentário imbecil. Como este blog se dedica ao debate político e a denuncia das falcatruas deste e de qualquer outro governo, não consideramos nenhum comentário imbecil, nem o seu, anônimo!

3 comentários:

José de Araújo Madeiro disse...

Laguardia,

Bastante interessante esse anônimo.

Ele achar que a bolsa família e outras bolsas dadas pelo governo para eleger a Dilma, é uma forma de promoção humana é brincadeira de mau gosto.

Trata-se de uma compra de voto às custas da classe média, que paga impostos e que impostos?

Amigo, então, não perca tempo com o anômino, delete antes de ler.Se este procura esconder-se no anonimato é porque teme a verdade e assim não merece o mínimo de respeito.

Att. Madeiro

Celso disse...

Laguardia
Acho que todos deveriam aprender...
que estamos no QUARTO MANDATO DO FHC:
- Economia
Estabilizada a partir do Governo Itamar e estruturada no Governo FHC (sob cacete constante dos petistas)
- Bolsa-familia
Derivada do Bolsa Escola
(sob cacete constante do candidato Lula, que dizia que era assistencialismo)...
- PROER
Sob cacete constante, a demonização do PROER ajudou a eleger Lula e, conforme analistas internacionais, FOI O QUE PERMITIU AO BRASIL passar a crise internacional sem tanto problema

O que funciona no Brasil hoje, foi deixado pelo FHC!

Algumas coisas, não:
- Corrupção
- cuecas cofrinho
- amigos aloprados
- filhos prosperíssimos

- paro por aqui porque a
lista é longa... e a dúvida se vão "entender"...
E eu não me proponho a "desenhar" como costuma sugerir a CENSURADA Adriana Vandoni do wwww.prosaepolitica.com.br

Engraçado..., não tenho visto os "artistas" que falavam da censura da Ditabrandíssima brasileira (quando comparada à sanguinária "gestão cupanhera bolivariana" dos hermanos grotescos de Cuba, em sua ilha propriedade capitalista particular).
Vai ver que não querem por a mão na merda, né?

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog cheguei até você e gostei do que vi.
Não se assuste, já percebi que existem alguns blogs muito parecidos com o meu, ainda bem que estou no ar desde 2006 - tem um que chega a ser discaradamente igual inclusive no corpo de letra (até o layout é igual...falta de criatividade é um problema).Infelizmente, no momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da telinha está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar um pouco mais de cuidado, mas em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em
http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura, da reflexão e enquanto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam. Pois o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos é o afeto e uma boa educação. Isso faz com que ela acredite na própria capacidade, seja feliz e tenha um preparo melhor para lidar com as dificuldades da vida. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
VAMOS TODOS JUNTOS PELA EDUCAÇÃO, NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR !
Se achar a minha proposta coerente, siga-me nessa luta por um mundo melhor. Peço que ao responder deixar sempre o link do blog, pois vez por outra o comentário entra com o link desabilitado ou como anônimo. Por causa disso fico sem ter como responder as pessoas.Os meus comentários também entram via e-mail, pois nem sempre a minha conexão me permite abrir as páginas: moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, creio que mais alto que as antenas, com isso a minha dificuldade de sinal do 3G. Espero queentenda quando não puder visitá-lo.
Daqui onde estou, os únicos sons que escuto aqui é o dos pássaros, grilos, micos., caipora, saci pererê, a pisadeira, matintapereira ... e outras personagens que vivem pela mata.
Por hoje fico por aqui, já escrevi demais. Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre e que os bons ventos sopre, sempre a seu favor.
Saudações Florestais !
Silvana Nunes.'.