sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Festa das Ratazanas

Ontem foi a festa de comemoração dos 31 anos do PT. Foi uma festa e tanto, em torno de um grande queijo Suisso com uma vela no centro, certos da impunidade pelos crimes cometidos no passado, era uma alegria só.

Confiantes de que seus atos criminosos como o mensalão, a institucionalização da corrupção impune em todos os níveis de governo, a perspectiva de continuar se servindo dos bens público, tiveram o desplante de iniciar uma campanha para a absolvição do chefe mor da quadrilha, José Dirceu.

Estão confiantes, pois o povo caiu no canto da sereia. Acreditou na demagogia petista, endeusou o Cappo Dei Tutti Cappi Luiz Inácio Lula da Silva, conseguiram nomear para o STF, que vai julgar os crimes cometidos pelos Petralhas, ministros sem notório saber jurídico e reputação ilibada, como Toffoli, que antes de se tornar ministro do STF era membro da quadrilha.

Precisamos agir com rigor. Já está na hora de tomarmos as ruas em protesto. Pagamos impostos de país de primeiro mundo e recebemos em troca serviços de quarto mundo.

Chega! Vamos nos organizar para instituirmos no Brasil um verdadeiro Estado Democrático de Direito.

2 comentários:

Castelo disse...

É tudo de faz de conta
Lauguardia, num país onde o governante nomeia pra ministro da justiça, um partidário ferrenho, que sempre defendeu com unhas e dentes os feitos do seu partido, sem olhar o quê, já dar pra se ter uma noção real da qualidade da justiça e do governo que o povo vai ter,....
E agora só resta a população tomar juízo, e responsabilidade para suas próprias vidas, e tentar corrigir o absurdo que cometeu na eleição passada,...

JabaNews disse...

olá laguardia,
parabéns pela matéria, a charge, inclusive, é muito boa.
quanto ao cara da AGU, o assunto é emblemático, há outro lá na corte das togas superiores da mesma origem, vindo de governo anterior ao do inominável e inqualificável.
já há algum tempo sustentamos a ideía de que as cadeiras do STF, em número de 11, devem ser preenchidas, mediante regras próprias, da seguinte forma: 7 por magistrados de carreira, 2 por membros do MP e 2 por advogados, dando-se fim às romarias ao executivo e ao legislativo (beija mão), às sabatinas de costume que não levam a nada, à relação de compadrio que decorre das nomeações políticas, e a vergonhosa ascendência do executivo sobre o judiciário, como nos quase 6 meses, contados de agosto passado, com a aposentadoria do último ministro, que deixou a corte capenga, servindo de justificativa para não solucionar impasses, notadamente em matéria eleitoral.
nunca vimos com bons olhos o velho atual sistema "de cotas".
Falamos sobre isso em algumas matérias lá no blog, como República dos Cinqüentões e Cadeiras no STF.
quanto à festa dos tramoienses, boa música para embalar a turba poderia ter sido "reunião de bacana", que começa com famosa pérola: "se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão ....".
nossos respeitos,
jabanews