terça-feira, 1 de maio de 2012

Trabalhador Brasileiro - Vítima da Demagogia do Partido dos Trabalhadores


Neste dia 1 de maio, dia do trabalhador, gostaria de parar um pouco e de refletir sobre a situação do nosso trabalhador, do verdadeiro trabalhador brasileiro que se sacrifica diariamente para dar um pouco mais de conforto para sua família e contribui para o crescimento do Brasil.

Não resta a menor dúvida que de 1994 para cá a situação econômica e social do trabalhador brasileiro tem melhorado consideravelmente. 

O fim do processo inflacionário trouxe ganhos econômicos e sociais quase que imediatos para o trabalhador. Seu salário não era mais corroído pela inflação que chegou a 83% em um único mês. Daí para frente começou a ter aumentos reais. Havia mais comida na mesa e uma esperança de vida melhor.

Em 2002 o trabalhador elegeu um presidente que julgava ser seu representante.

Ledo engano. Luiz Inácio Lula da Silva, eleito com o voto do trabalhador e se fazendo passar por um deles, deixou cair a máscara.

Instalou no Brasil o maior esquema de corrupção e desvio do dinheiro público jamais visto em nossa história, o mensalão.

Apesar da melhora salarial do trabalhador, a qualidade do ensino público piorou a olhos vistos. O trabalhador que desejar que seus filhos tenham uma educação de melhor qualidade terá que gastar os ganhos com o Plano Real e mais alguma coisa com a escola particular.

O sistema público de saúde é uma calamidade. Novamente, o trabalhador que quiser dar uma assistência razoável a saúde de sua família terá de pagar um plano de saúde particular, e lá se vai mais uma parcela dos ganhos com o Plano Real.

O governo alimentou a ideia de que o trabalhador agora poderia ter um carro, financiado, mas um carro seu.   Mas os juros são os maiores do mundo e em breve o trabalhador descobre que não tem como sustentar um carro e lá se vai mais uma parcela de seu salário para pagar os juros. Em breve o trabalhador vê que seu salário já não é suficiente para cobrir suas dívidas. Quanto mais paga mais deve.

O transporte público é um caso de polícia. São horas despendidas dentro de ônibus e trens apinhados.

 Os impostos aumentam a cada dia. O trabalhador já paga só em impostos 40% do que ganha, sem que haja nenhuma contrapartida por parte de nossos governantes.

O discurso do PT é demagogia pura. Promessas vazias e sem resultados práticos para o trabalhador, que todos os dias é confrontando com notícias de corrupção e mal feitos de nossos governantes e "representantes".

Com a luta do dia a dia para trazer o pão de cada dia para casa resta pouco tempo e ânimo para lutar contra este estado de coisas.

E assim se passam os dias. O trabalhador explorado pelo Partido dos Trabalhadores. Os líderes do PT continuam como nababos desfrutando do bom e do melhor as custas do trabalhador brasileiro.

Nossas homenagens a este povo que trabalha incessantemente para que os nossos governantes possam viver como marajás.

6 comentários:

Anônimo disse...

Graças a Deus não é essa a visão que o trabalhador tem na atualidade.
Enquanto os verdadeiros operários podem agora sonhar, os laguardias da vida continuam tendo pesadelos, e pior, querem partilhar com todos!
No feriado de hoje os operários estão em casa, em volta da farta mesa,ou vendo televisão, nova possivelmente. Podem respirar aliviados com a dispensa e a geladeira, novinha também, repletas. É possível que tenham um carro na garagem - da casa nova- para mais tarde passear com a família.
Mas o principal é que todos estão empregados!
E vc Laguardia, pode tentar tapar o sol com a peneira,mas qualquer peão no Brasil sabe que a vida começou a melhorar a partir de 2003, não em 1994;Tolinho!

Jabanews disse...

Olá Laguardia,
Lendo o comentário do "Anônimo" penso que moro em outro Brasil, que não aquele por ele vivenciado, a não ser que o Brasil seja o Brasil do PT e asseclas, ou das sindicais, ou qualquer outra coisa qualquer.
As suas reflexões retratam, resumidamente, o que aconteceu no País após ascensão ao poder de um grupo que se autointitulava o ápice da decência e da honestidade, para uma platéia ávida por escutar o que gostaria de escutar, de fácil manipulação, e outra carregada em seus interesses pessoais, quiçá escusos, ao mesmo tempo em que encobria o seu passado sob o manto da anistia.
Não há como esconder quase 10 anos de um dos governos mais corruptos da história do País, presente, com toda “galhardia”, a classe que se alojou no Legislativo, a derrocada de princípios e valores – com os quais alguns ainda teimam ditar a sua vida – e a deterioração dos deveres básicos do Estado na saúde, educação, habitação, transportes, infraestrutura, na decência mesmo.
Fico feliz que uns tenham conseguido sua nova TV, sua nova geladeira, sua nova casa e até o seu novo carro, no universo em que enxergam a vida, e estejam assim, de momento, satisfeitos e agraciados, porquanto a inadimplência do trabalhador, após aderir ao irresponsável incentivo de consumo de bens - linha branca - e de automóveis (recentemente reincentivado com a propaganda do BB), quando da crise provocada pela subprime americana, foi elevada, como já largamente noticiado pela imprensa, e as suas linhas bem o relembram.
O resultado da “primeira vitória”, lá por 2002, com a conjugação dos interesses de fácil manipulação e os escusos, foi o do flagelo da criminalidade, da impunidade e da mediocridade continuar por ai, com seus dias, a atormentar os que insistem viver na decência e na honestidade.
Parabéns pela matéria.

Anônimo disse...

Pesquisa realizada pelo Datafolha mostra que, a despeito da renda modesta e da conjuntura de calmaria econômica, o contentamento com o trabalho é generalizado e superior ao declarado no início da década passada.

Três em cada quatro brasileiros se sentem felizes com o trabalho...

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1083840-tres-em-cada-quatro-brasileiros-se-sentem-felizes-com-o-trabalho.shtml

Anônimo disse...

O DATAFOLHA é petista!!!!!
-Não é Laguardia?
A verdade neste blog é muito particular... se é que me entendem, certo?

Laguardia disse...

O anônimo reflete bem a queda na qualidade de ensino no Brasil.

Vê-se que não consegue entender o que lê.

Vamos tentar esclarecer.

No post que escrevi reconheço a melhora na situação do trabalhador. Graças a estabilidade da economia iniciada com o Plano Real em 1994, hoje o trabalhador tem ganhos reais nunca tidos antes.

O que digo, não o Datafolha, mas o IBGE e o IPEA confirmam que a melhora da situação social e econômica do trabalhador se deu com a estabilidade da economia a partir do Plano Real.

Não reconhecer esta verdade ou é má fé ou é ignorância mesmo.

Não reconhecer que temos um alto índice de inadimplência é ignorar os últimos relatórios do Banco Central do Brasil.

Até mesmo a presidente da república, Dilma Rousseff, reconhece que no Brasil temos a maior taxa de juros do mundo. Negar isto é estar vivendo no mundo da lua.

O brasileiro é trabalhador e gosta de trabalhar e gosta do trabalho que faz. Até aí nenhuma novidade.

Negar que o sistema de saúde é caso de policia, que a qualidade da educação é péssima, principalmente na rede pública, negar que o transporte público no Brasil é caótico, que o aposentado vê seus rendimentos diminuírem a no a ano, é no mínimo desonesto.

Ricardo Froes disse...

Habituado que estou com boa parte do comércio de Ipanema sempre aberto aos domingos e feriados, ontem resolvi ir ao supermercado. Dei de cara na porta: a fiscalização (leia-se sindicatos) havia passado pelo bairro e fechado todos os mercados e supermercados. Nunca vi disso, mesmo em primeiros de maio.

Soube que para se abrir em domingos e feriados os estabelecimentos têm que comunicar antecipadamente ao sindicato. Tudo bem, mas fica difícil acreditar que nenhum deles o tenha feito, já que na segunda passada, também feriado, todos funcionaram normalmente.

Perguntei-me se essa palhaçada já teria sido fruto da posse de Brizola Neto (hoje), ele que é aliado ao que há de pior e mais corrupto no sindicalismo e eis que a quase confirmação veio hoje em forma de notícia:

“No Dia do Trabalhador, sindicatos impedem abertura de lojas em Maceió

Uma grande mobilização realizada pela Central Única dos Trabalhadores de Alagoas (CUT/AL) neste 1º de Maio, data que no mundo inteiro comemora-se o “Dia do Trabalhador”, impediu que estabelecimentos comerciais abrissem as portas no centro de Maceió. Mesmo no feriado, os lojistas anunciaram que as empresas funcionariam normalmente nesta terça. “Hoje é o dia do trabalhador e não do trabalho. Estamos aqui para dar um basta a esse desejo desenfreado do mercado de só pensar no lucro. E o respeito ao trabalhador, onde fica?”, gritava o presidente da CUT, Isaac Jackson, pelas ruas do comércio. Para cada loja que ameaçava abrir as portas, os sindicalistas se amontoavam na frente do estabelecimento e impediam a sua abertura.”

Agora eu tenho quase certeza que isso já foi reflexo de Brizola Neto no Ministério do Trabalho, em função das suas íntimas ligações com o sindicalismo criminoso.