quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Será que desta vez a justiça será feita? Não acredito!

A Justiça Federal em Brasília determinou a citação do ex-terrorista italiano Cesare Battisti em processo contra a emissão do seu visto de permanência. 

No começo do mês, o Ministério Público Federal no Distrito Federal pediu à Justiça que o visto de Battisti seja anulado e, consequentemente, que ele seja deportado do país. Fonte: Folha.com

Mais uma vez a justiça brasileira tem a oportunidade de fazer com que a nossa lei e a constituição sejam obedecidas neste caso de Cesare Battisti.

Nossa proíbe a concessão de visto de trabalho a criminosos, o que é o caso de Battisti.

Vamos esperar e ver o que acontece. Mas sinceramente não acredito que Battisti será extraditado. Nosso sistema judiciário já está muito contaminado pela corrupção e pela impunidade. 

2 comentários:

José de Araújo Madeiro disse...

Para Laguardia,

Uma fotocópia da realidade política brasileira:

O Cabo Anselmo, em carta recente, pede arrego à Dilma Dynamite; apela para sua clemência quanto aos erros do passado, dos quais foi um dos seus atores.

Assim ele deixa evidente o seu desejo de ser bem-vindo ao Muco, Museu da Corrupção e do salve o um santinho, do ungido no oráculo da metafísica, dos PT,PMDB,Lula,Dilma,Sarney,Renan et Caterva), no laboratório da experimentação gramscista, o Foro de São Paulo.

Enquanto a Dilma assume as negociações sobre a Copa de 2014, quando o Brasil real e inseguro, avança entre descaminhos e imprevisibilidades.

Assim, uma metamorfose macunaímica vai consolidando seu diabólico projeto, tendo nas mãos uma nação adormecida e que se contenta com uma dadividosa distribuição do pão-e-circo.

De uma nação que não se educou e não evoluiu. Assim, a história é sempre implacável contra os erros e pune gerações de inocentes, de que nada sabe, se não convivera e ainda que nada leu da sua verdadeira identidade.

Dessa feita, seria mesmo impossível aprender, para não ter que jamais se submeter.

Mas olhemos para frente. Procuremos descortinar esse futuro que nos afronta.

E esperando que os males do passado não se repitam.

Abçs, Madeiro.

ALBERTO FIGUEIREDO disse...

Será milagre